Episódio #261 – Ruído na Psiquiatria

Bem-vindo à 13ª temporada do PQU Podcast. A psiquiatria é a especialidade médica que tem mais ruído intrínseco. O ruído, aqui, é um dos componentes do erro em julgamentos e decisões. O outro é o viés. Mesmo em atividades médicas mais concretas, em oposição aos julgamentos mais subjetivos que os psiquiatras realizam, há muito ruído. Diante do mesmo caso, diferentes médicos discordam quanto à presença ou não de melanoma, de câncer, de doença cardíaca, de tuberculose, de pneumonia e, evidentemente, de um transtorno mental. No episódio 261 do PQU Podcast descrevemos os tipos de ruído em nossa especialidade e o que pode ser feito para minimizá-lo. Depois de escutá-lo, você valorizará mais o som e buscará com mais afinco a melodia na sua prática psiquiátrica.

Episódio #259 – Um mapa com lacunas importantes

Chegou às nossas mãos, como pode ter chegado às suas, um Mapa das Evidências sobre a efetividade da Cannabis Medicinal. No episódio 259 do PQU Podcast o analisamos no detalhe. Nosso resumo: não há evidências de qualidade que permitam que se faça qualquer coisa parecida com uma prática baseada em evidências quando se fala de canabinóides em transtornos psiquiátricos. Repito, se ainda não ficou claro: não há evidências de qualidade que justifiquem esse uso. Escute o episódio com atenção. Se surpreenderá com a quantidade de informações que ele contém. Aproveite.

Episódio #254 – Mantendo a linha

No episódio 254 do PQU Podcast, abordamos as principais causas de frustração e enfado no médico durante uma consulta. Ninguém está imune a elas. Falaremos mais detalhadamente sobre seis dessas causas. A ideia é capacitar o psiquiatra em formação a identificá-las para neutralizar o incômodo que provocam e, ao fazer isso, não prejudicar tanto o seu desempenho. Esse é mais um episódio linha direta, daqueles que mudam para melhor sua prática clínica depois de escutado. Bom proveito.

Episódio #253 – Lisdexanfetamina

No episódio 253 do PQU Podcast, temos mais uma contribuição de Diego Cavicchioli, psiquiatra e professor do curso de Medicina da Universidade Estadual de Londrina. Dessa vez, ele apresenta uma bela revisão sobre a lisdexanfetamina para o nosso Fichário de Psicofármacos. Na introdução, ele fala um pouco da história das anfetaminas para na sequência, com a didática que lhe é peculiar, abordar as características farmacológicas, uso clínico, efeitos colaterais e interações medicamentosas. Vale a pena escutar.

Episódio #252 – Tratamento personalizado do paciente com transtorno bipolar

No episódio 252 do PQU Podcast, falaremos sobre os vários fatores que devem ser levados em conta para se personalizar o tratamento de um adulto com transtorno bipolar. Os que já escutam o nosso podcast sabem que por tratamento personalizado não nos referimos a abordagem direcionadas por testagem farmacogenética, cuja utilidade clínica ainda é questionável, mas sim ao verdadeiro sentido de personalizado, ou seja, sob medida para a pessoa que apresenta o transtorno mental e de acordo com as características clínicas do quadro que ela apresenta. Você não pode perder. Esse é daqueles que mudam conduta depois de escutados com atenção.

Episódio #249 – Depressões resistentes e o uso de IMAO

No episódio 249 do PQU Podcast, o primeiro a ser denominado Magno, o Prof. Fábio Lopes Rocha, psiquiatra, Coordenador da Pós-Graduação em Ciências da Saúde do IPSEMG, o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais, discorre sobre o uso de IMAO em casos de depressão resistente. Ao terminar, afirma que: “o psiquiatra que pretende tratar pacientes que sofrem de depressões graves, com elevado grau de resistência, deve aprender a utilizar os IMAOs. São um recurso extremamente poderoso. Muitas vezes, restauram a vida plena, sem o pesado fardo da depressão”. Está imperdível.

Episódio #248 – Eixo 4

No episódio 248 do PQU Podcast falamos sobre o Eixo IV do DSM-III – Problemas psicossociais e ambientais, no qual se deveria estimar a quanto estresse o paciente estava submetido. Ele continha dois itens: uma lista dos eventos estressantes que pudessem ter contribuído para o desenvolvimento ou exacerbação do episódio atual do transtorno e uma classificação do nível de estresse desses eventos sobre o indivíduo. Ambos foram expandidos e refinados no DSM-III-R e no DSM-IV. Hoje o eixo IV ficou na história, não mais faz parte da nova edição do DSM. Cremos que, com isso, algo se perdeu, mas esperamos que seja resgatado de alguma forma na sua prática clínica, pois levar em conta eventos de vida aumenta seu entendimento da situação do paciente. Não deixe de escutar.

Episódio #244 – Doutor, eu posso beber?

Já foi questionado pelo paciente se ele poderia beber com o remédio que estava prescrevendo para ele? Tenho certeza que sim, muitas vezes até, eu também. É a regra quando pergunto se ficou alguma dúvida antes de encerrar a consulta. Pois então, exatamente por isso preparamos o episódio 244 do PQU Podcast. Não só sobre interação de psicotrópicos com bebida alcoólica como também com outras substâncias. E, para deixá-lo ainda mais apetitoso, incluímos nele informações sobre o efeito de alimentos e hábitos de vida na farmacocinética dos medicamentos frequentemente utilizados na prática psiquiátrica cotidiana. Aproveite.

Episódio #243 – O efeito placebo na prática psiquiátrica

No episódio 243 do PQU Podcast, vamos lhe falar sobre a evolução da definição e do conceito de placebo, os tipos de tratamento placebo, a contribuição do efeito placebo para a resposta terapêutica e sobre curiosidades acerca do efeito placebo para enfim chegar ao tema principal que é o efeito placebo na prática psiquiátrica. A partir daí falaremos sobre os possíveis mecanismos de ação por trás do efeito placebo e sobre como maximizá-lo a favor do melhor resultado terapêutico. Só tudo isso.

Episódio #241 – Farmacocinética dos psicofármacos

Olá! Bem-vindo à 12ª temporada do PQU Podcast. Nesse primeiro episódio dessa temporada, o 241, abordamos um tema fundamental em psicofarmacologia clínica: a farmacocinética dos psicofármacos. A farmacocinética se refere a como os medicamentos se movimentam dentro do corpo, especificamente de como se dá sua absorção, sua distribuição até a chegada ao sítio de ação; seu metabolismo e sua eliminação. Por essa razão, costuma-se dizer que farmacocinética é o que o corpo faz com o medicamento. Pois bem, revisamos cada uma das etapas da farmacocinética dos psicofármacos, destacando informações úteis para sua boa prescrição no sentido de se obter deles o efeito terapêutico máximo. Não deixe de escutar!