Episódio #153 – Cinco razões para se estudar psicopatologia

Nesse episódio do PQU Podcast, o 153, defino psicopatologia e apresento cinco razões pelas quais um psiquiatra precisa estudar essa disciplina de maneira sistemática e continuada. Justifico-as com o auxílio de professores renomados na área. Por fim, enfatizo o quanto a psiquiatria necessita da psicopatologia e, por extensão, que nós, psiquiatras, também. Depois de ouvir me diga se fui convincente.

Episódio #151 – Biografia dos transtornos de ansiedade

Desde os primórdios, dos tempos mais remotos de que temos notícia, reconhece-se a existência de ansiedade como emoção normal e necessária, de casos em que ela está ausente e daqueles em que ela é claramente excessiva. No episódio 151 do PQU Podcast vou lhes narrar como se deu a variação das fronteiras entre esses estados e de seu entendimento com o passar do tempo e a evolução da cultura ocidental.

O tratamento da dor é um desafio dos mais difíceis para a medicina. Não é à toa que muitas especialidades médicas se ocupam do tema. A psiquiatria poderia ser uma delas? São muitas as interfaces entre a experiência dolorosa e o funcionamento da mente, dor crônica e transtornos psiquiátricos, mas, deveria por isto a medicina da dor fazer parte da formação básica de todo psiquiatra?

Episódio #101 – O Conjunto Mente-Cérebro

Já faz algum tempo que o Vinícius e eu denominamos de conjunto mente-cérebro à dupla dinâmica e indissociável formada pela mente, pelo cérebro e pelo fosso existente entre eles. Nesse episódio conversamos sobre a proposta de Thomas Fuchs, professor catedrático da clínica psiquiátrica da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, sobre o desenvolvimento e as funções do cérebro, apresentadas no livro “Ecology of the brain”, de 2018. Ele diz que a fenomenologia é a via para compreensão da singularidade de cada indivíduo, mas incorpora nessa visão os conhecimentos derivados dos avanços da neurociência.

Episódio #100 – PQU Podcast na formação de um Psiquiatra – uma retrospectiva

Então chegamos o Episódio número 100 do PQU Podcast! E aí preparamos um episódio comemorativo onde fazemos uma retrospectiva, respondemos a perguntas de ouvintes e fazemos considerações sobre o papel do PQU Podcast na formação de um psiquiatra.

Episódio #95 – 16 dicas para o Psiquiatra em Formação

Esse episódio do PQU Podcast baseia-se em artigo de Julian Leff, professor emérito do Instituto de Psiquiatria do King’s College, em Londres. Ele próprio descreveu esse texto como uma colcha de retalhos, uma colagem, que incorpora muito do que ele aprendeu, observou e vivenciou ao longo de sua longa e prolífica carreira como psiquiatra e pesquisador. Ao que ele relatou acrescentei algo de minha experiência pessoal nesses campos de atuação e do que conversei com amigos psiquiatras com experiência clínica e em pesquisa muito maior que a minha.

Episódio #82 – Dez Falácias da Psicofarmacologia

Nos prolegômenos do livro “Clinical Psychopharmacology: Principles and practice”, lançado no primeiro semestre de 2019, Nassir Ghaemi lista dez falácias e dez verdades da Psicofarmacologia. Nesse episódio apresentamos e comentamos uma a uma as falácias. Não concordamos com todas, mas é inegável que a argumentação do autor merece respeito e nos obriga a refletir. Algumas inclusive colocam em cheque o que temos advogado como boa prática clínica em diversos episódios do PQU Podcast.

Episódio #77 – Aequanimitas

William Osler é um dos ícones da medicina, sendo inclusive por alguns referido como o pai da medicina moderna. Em 1889, no discurso de despedida da Universidade da Pensilvânia, intitulado “Aequanimitas”, destaca duas características do médico necessárias para a boa prática clínica, para o bom desempenho na vida em geral e que contribuiriam para o sucesso profissional tanto quanto auxiliariam no trato com os infortúnios e insucessos. São elas a imperturbabilidade e a equanimidade.

Episódio #73 – Salsichas e classificações psiquiátricas

Em um simpósio de psiquiatria aqui em Ribeirão Preto, há muitos e muitos anos, eu coordenava uma mesa redonda sobre classificação em psiquiatria quando pela primeira vez ouvi a analogia entre classificações psiquiátricas e salsichas: ninguém sabia direito o que tinha nelas e nem como eram feitas. Não é verdade que não se sabe o que uma classificação psiquiátrica contém. Transtornos mentais, obviamente, conforme sua concepção na época em que foi feita a elaboração nosológica. Apesar das críticas aos sistemas de classificação atuais, DSM-5 e CID-11, mostramos nesse episódio que ainda não foi encontrada uma alternativa à altura do que já temos.